header logo pt

 
 
Resultados
 
 

preliminares:

 

Estudo da segurança e eficácia do pazopanib e pembrolizumab
 
(MK 3475) no carcinoma de células renais avançado (NCT02014636)
 
 O ensaio ainda está em curso, mas os resultados preliminares foram apresentados durante a ECC, em setembro de 2015

QUANTAS

pessoas participaram no ensaio?

Espera-se a participação de um total de 228 pacientes de 5 centros oncológicos nos EUA e no Reino Unido na fase I e fase II do ensaio. A Fase I ainda está em curso, mas, à data limite da inclusão de dados (agosto de 2015), 20 pacientes estavam inscritos no ensaio.

CONCEÇÃO

DO ESTUDO

Como estava estruturado o estudo?

O ensaio será realizado em duas fases. A Fase I ainda está em curso, mas os resultados preliminares foram apresentados durante a ECC 2015. A Fase II será realizada no futuro.

A Fase I foi realizada com apenas um braço (grupo) do estudo para pacientes com CCR: 20 pacientes foram inscritos no ensaio e receberam diferentes dosagens de pazopanib (Votrient™) em combinação com pembrolizumab (Keytruda™, MK-3475).

  • O pazopanib (Votrient™) é uma pequena molécula de administração oral inibidora da tirosina quinase com vários recetores como alvos, já aprovada para CCR metastático
  • O pembrolizumab (Keytruda™) é um anticorpo monoclonal totalmente humano contra a PD-1 que ainda não foi aprovado para CCR metastático
Os participantes receberam pazopanib por via oral e pembrolizumab por via intravenosa em diferentes dosagens.

Para obter mais informações sobre a conceção do ensaio de fase II, leia aqui: em formação de estudo pembrolizumab+pazopanib

Resultados

do estudo

Os resultados preliminares do ensaio de Fase I foram apresentados em setembro de 2015.

A Fase I do estudo pretendia responder às seguintes perguntas:

1. A combinação de pazopanib e pembrolizumab é segura e tolerável para os pacientes com carcinoma de células renais avançado?

2. Quão eficaz é o tratamento combinado para pacientes com carcinoma de células renais avançado?

Foi possível observar o seguinte:

1. Tolerabilidade e efeitos secundários:
Todos os pacientes comunicaram efeitos secundários e a maioria foi moderada (até ao grau 2). Os efeitos secundários mais frequentes (em mais de 30% dos pacientes) foram:

  • Elevação das enzimas hepáticas (ALT/AST)
  • Diarreia
  • Fadiga
  • Dor de cabeça
  • Náuseas
  • Artralgia
  • Vómitos
  • Hipertensão.
Um paciente na coorte do aumento da dose apresentou uma toxicidade limitadora da dose com elevações de grau 3 de certas enzimas hepáticas (ALT, AST, bilirrubina e fosfatase alcalina). As enzimas hepáticas são biomarcadores da saúde do fígado; por isso, níveis elevados das enzimas hepáticas demonstram problemas na função hepática.

13 dos 20 pacientes tiveram de interromper temporariamente o tratamento devido a um aumento das enzimas hepáticas ALT/AST (grau 3). Todos recuperaram depois com a interrupção/descontinuação da dose juntamente com um tratamento de corticosteroides.

Após a recuperação do seu primeiro evento no fígado, 12 dos 13 pacientes voltaram a juntar-se ao estudo, primeiro com a monoterapia do pembrolizumab e, posteriormente, 8 deles também retomaram o pazopanib.

As enzimas hepáticas continuaram normais durante a monoterapia com pembrolizumab. No entanto, após a adição do pazopanib, 6 dos 8 pacientes apresentaram novamente recorrência da elevação da ALT/AST. Recuperaram depois com a interrupção/descontinuação da dose juntamente com um tratamento de corticosteroides.

O aumento da dose com a combinação de pazopanib e pembrolizumab demonstrou uma hepatotoxicidade (problemas hepáticos) significativa.

2. Eficácia
A taxa de resposta global confirmada foi de 60% no grupo de pacientes que receberam 800 mg de pazopanib juntamente com pembrolizumab e de 20% no grupo do pazopanib 600 mg juntamente com pembrolizumab.
Um paciente tratado com 800 mg de pazopanib juntamente com pembrolizumab apresentou uma resposta completa (o que significa que já não existem evidências da doença).

CONCLUSÃO

 

Os resultados preliminares da combinação do pazopanib com pembrolizumab para o tratamento de pacientes com cancro renal avançado demonstrou uma hepatotoxicidade (problemas hepáticos) significativa, mas que aparentemente se deve apenas ao pazopanib.

Uma vez que se observaram evidências preliminares de atividade antitumor, novos regimes posológicos, incluindo a utilização sequencial destes agentes, serão explorados no futuro.

O cartaz de resumo deste ensaio conforme apresentado pode ser obtido aqui: pdf Transferir o cartaz da ECC (96 KB)

PARTILHAR

a sua experiência

Foi um dos pacientes participantes neste ensaio clínico? Pretende partilhar a sua experiência com outros pacientes? Envie-nos um e-mail para:Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Tenha em atenção que a sua experiência será útil para outros pacientes e organizações de pacientes. No entanto, os seus dados pessoais não serão partilhados com qualquer grupo de pacientes nem com qualquer pessoa não pertencente ao Conselho de Administração da IKCC sem a sua permissão explícita nesse sentido.

Exoneração de responsabilidade: Este é um resumo simples, destinado aos pacientes, dos resultados deste ensaio clínico que foi disponibilizado apenas para fins informativos